Galeria de Imagens “Brazucas” do Cometa C/2014 Q2 (Lovejoy) – Parte 3

Tiago Ramires Domezi‎ em Astrofotografia Amadora Bom, acho que todos já foram apresentados a esse belo viajante sideral né!? rsrsrs  Estou achando o máximo observá-lo. É o segundo cometa que observo pelo telescópio, então estou muito empolgado em poder acompanhá-lo. Na segunda-feira, o céu estava bem transparente aí aproveitei para treinar a estimar magnitude. Ainda estou aprendendo, mas estava algo em torno de mag. 6.3, 6.4. Conseguia ver ele facilmente num binóculo porcaria 7x50 que tenho aqui. O registro é de ontem, o céu já não estava tão transparente e a PL prejudicou demais, dificultando pegar a cauda  Esse é um frame único de 10 minutos. Fiz outros, porém estou tendo problemas na hora de integrá-los. Espero conseguir algo melhor quando ele estiver com sua magnitude mais baixa.  Telescópio newtoniano 254mm f/4  Câmera nikon D7000  Mais informações e imagem sem compressão: http://www.astrobin.com/141291/

Tiago Ramires Domezi‎ em Astrofotografia Amadora
Bom, acho que todos já foram apresentados a esse belo viajante sideral né!? rsrsrs
Estou achando o máximo observá-lo. É o segundo cometa que observo pelo telescópio, então estou muito empolgado em poder acompanhá-lo.
Na segunda-feira, o céu estava bem transparente aí aproveitei para treinar a estimar magnitude. Ainda estou aprendendo, mas estava algo em torno de mag. 6.3, 6.4. Conseguia ver ele facilmente num binóculo porcaria 7×50 que tenho aqui.
O registro é de ontem, o céu já não estava tão transparente e a PL prejudicou demais, dificultando pegar a cauda
Esse é um frame único de 10 minutos. Fiz outros, porém estou tendo problemas na hora de integrá-los. Espero conseguir algo melhor quando ele estiver com sua magnitude mais baixa.
Telescópio newtoniano 254mm f/4
Câmera nikon D7000
Mais informações e imagem sem compressão: http://www.astrobin.com/141291/

Meire Ruiz O cometa apareceu em uma foto a qual eu não esperava. Sinal de que está brilhando muito

Meire Ruiz
O cometa apareceu em uma foto a qual eu não esperava.
Sinal de que está brilhando muito

Meire Ruiz  Cometa C/2014 Q2 Lovejoy + satélite ou lixo espacial Que susto!  17/12/2014

Meire Ruiz
Cometa C/2014 Q2 Lovejoy + satélite ou lixo espacial
Que susto!
17/12/2014

Hildo Nascimento‎ em Astrofotografia Amadora Cometa C/2014 Q2 Lovejoy Hoje iso 2000 f 5.6 exp.15 seg.

Hildo Nascimento‎ em Astrofotografia Amadora
Cometa C/2014 Q2 Lovejoy
Hoje iso 2000 f 5.6 exp.15 seg.

Rafael Bezerra Dalla Costa depois inverti para ver alguns detalhes, principalmente do núcleo, qq vc acha?

Rafael Bezerra Dalla Costa
depois inverti para ver alguns detalhes, principalmente do núcleo, qq vc acha?

Marcelo Zurita‎ em Astrofotografia Amadora Para não dizer que não falei das flores: Cometa C/2014 Q2 Lovejoy Registro feito em condições muito adversas de céu e poluição luminosa. Tentarei novamente se as nuvens deixarem.  Foram feitas 208 fotos de 15s, mas apenas 17 foram empilhadas e ainda assim, algumas nebulosidade ainda poluiu a imagem.  Câmera Nikon D5100 Lente Tokina 200mm F/2.8 em F/4 Exposição: 17 x 15 seg ISO 800

Marcelo Zurita‎ em Astrofotografia Amadora
Para não dizer que não falei das flores: Cometa C/2014 Q2 Lovejoy
Registro feito em condições muito adversas de céu e poluição luminosa. Tentarei novamente se as nuvens deixarem.
Foram feitas 208 fotos de 15s, mas apenas 17 foram empilhadas e ainda assim, algumas nebulosidade ainda poluiu a imagem.
Câmera Nikon D5100
Lente Tokina 200mm F/2.8 em F/4
Exposição: 17 x 15 seg
ISO 800

Victor Goiano‎ em Astrofotografia Amadora Cometa Lovejoy Telescópio Refletor 130mm F/d 5 Eq2 Mot. Câmera CCTV Samsung scb 2000 Sensor em 512x Imagem feita instantaneamente com software da placa de Captura Encore.

Victor Goiano‎ em Astrofotografia Amadora
Cometa Lovejoy
Telescópio Refletor 130mm F/d 5 Eq2 Mot.
Câmera CCTV Samsung scb 2000
Sensor em 512x
Imagem feita instantaneamente com software da placa de Captura Encore.

Marcelo Bastos‎ em Astrofotografia Amadora Primeira tentativa de registrar o Cometa Lovejoy, ainda vou melhorar esse registro. Como foi a primeira vez que fotografo um cometa acho que cometi vários erros, não sei se estou certo mas acho que não posso fazer foto deste cometa com longas exposições, alguém pode me dar uma dica? Telescópio 150 F/4 Sandro Coletti Montagem CGEM com auotoguider Iris Orion 5 Frames de 600seg ISO 1600 5 Frames de 600seg ISO 800 Canon T1i mod a 3° Celsius

Marcelo Bastos‎ em Astrofotografia Amadora
Primeira tentativa de registrar o Cometa Lovejoy, ainda vou melhorar esse registro. Como foi a primeira vez que fotografo um cometa acho que cometi vários erros, não sei se estou certo mas acho que não posso fazer foto deste cometa com longas exposições, alguém pode me dar uma dica?
Telescópio 150 F/4 Sandro Coletti
Montagem CGEM com auotoguider Iris Orion
5 Frames de 600seg ISO 1600
5 Frames de 600seg ISO 800
Canon T1i mod a 3° Celsius

Murilo Massa‎ em Astrofotografia Amadora meu primeiro registro do C/2014 Q2 Lovejoy  realizado na madrugada de 16/12/2014 entre as 01:00 e 03:00hrs local a imagem é composta por alguns frames de 300, 150, 180, 240 e 420s em ISO 800 e 400.  Telescopio refletor 180mm f5.9 + Canon 1000D modificada e refrigerada. empilhamento DSS e processamento Photoshop.

Murilo Massa‎ em Astrofotografia Amadora
meu primeiro registro do C/2014 Q2 Lovejoy
realizado na madrugada de 16/12/2014 entre as 01:00 e 03:00hrs local
a imagem é composta por alguns frames de 300, 150, 180, 240 e 420s em ISO 800 e 400.
Telescopio refletor 180mm f5.9 + Canon 1000D modificada e refrigerada.
empilhamento DSS e processamento Photoshop.

Imaging telescopes or lenses: GSO 12" Reflector GSO 12" F/5 Imaging cameras: Canon 1000D (modded) Mounts: Homemade equatorial mount German Equatorial from Darío Pires Software: Adobe Photoshop CS6,  DeepSky Stacker 3.3.4 DSS 3.3.4,  Astro Photography Tool - APT APT Resolution: 2658x1830 Dates: Dec. 14, 2014 Frames: 27x30" Integration: 0.2 hours Avg. Moon age: 21.67 days Avg. Moon phase: 55.08% Locations: Eimer Sternen Observatory, Presidente Lucena, RS, Brazil

Imaging telescopes or lenses: GSO 12″ Reflector GSO 12″ F/5
Imaging cameras: Canon 1000D (modded)
Mounts: Homemade equatorial mount German Equatorial from Darío Pires
Software: Adobe Photoshop CS6, DeepSky Stacker 3.3.4 DSS 3.3.4, Astro Photography Tool – APT APT
Resolution: 2658×1830
Dates: Dec. 14, 2014
Frames: 27×30″
Integration: 0.2 hours
Avg. Moon age: 21.67 days
Avg. Moon phase: 55.08%
Locations: Eimer Sternen Observatory, Presidente Lucena, RS, Brazil

Zeca, amigo e companheiro do Astronomia Ao Vivo, direto de Macaé, A Princesinha do Atlântico!!!

Zeca, amigo e companheiro do Astronomia Ao Vivo, direto de Macaé, A Princesinha do Atlântico!!!


Sonda Rosetta Sobrevoará Cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko a 6 Quilômetros de Distância em Fevereiro de 2015

rosetta_6km_01

observatory_1501051A sonda Rosetta da Agência Espacial Europeia, ESA, deve chegar a uma distância de apenas 6 quilômetros do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko, no mês de Fevereiro de 2015. O sobrevoo será o mais próximo que a sonda fará durante a sua missão primária.

“É o momento certo para realizar esse tipo de aproximação sem comprometer as órbitas que estão atualmente sendo realizadas”, disse Matt Taylor, o cientista de projeto da Rosetta do Centro de Tecnologia e Pesquisa Espacial Europeu em Noordwijk na Holanda. “À medida que o cometa torna-se mais ativo, não será possível chegar tão perto dele assim, desse modo, essa é uma oportunidade única”.

rosetta_6km_02

O sobrevoo baixo e próximo da superfície do cometa dará a oportunidade para a Rosetta obter imagens com uma resolução fantástica de dezenas de centímetros por pixel. As imagens devem fornecer informações sore a porosidade e o albedo (a refletância) do cometa. O sobrevoo também permitirá o estudo do processo pelo qual a poeira cometária é acelerada pela emissão de gás do objeto.

rosetta_6km_03

“A Rosetta está nos fornecendo uma poltrona na primeira fila, para seguir o cometa no próximo ano. Esse sobrevoo nos colocará numa posição privilegiada – muito próximo do objeto”, disse Taylor.

A sonda Rosetta lançou o módulo de pouso Philae para um ponto da superfície do cometa no último mês de Novembro. O Philae obteve as primeiras imagens feitas da superfície de um cometa e poderá nos fornecer análises da possível composição primordial do cometa.

rosetta_6km_04

Os cometas são como cápsulas do tempo contendo o material primitivo usado na época quando o nosso Sol e os planetas se formaram. A Rosetta será a primeira sonda a testemunhar bem de perto do cometa, como ele muda à medida que fica sujeito ao aumento da intensidade da radiação do Sol. As observações ajudarão os cientistas a aprenderem mais sobre a origem e a evolução do nosso Sistema Solar e entender qual o papel que os cometas tiveram em semear a Terra com água e até mesmo possivelmente com a vida.

rosetta_6km_05

A Rosetta é uma missão da ESA com contribuição dos estados membros e da NADA. O Laboratório de Propulsão a Jato, em Pasadena, na Califórnia, uma divisão do Instituto de Tecnologia da Califórnia, também em Pasadena, gerencia a contribuição norte-americana da missão Rosetta, para o Science Mission Directorate da NASA em Washington. O JPL também construiu o instrumento MIRO e abriga seu principal pesquisador, Samuel Gulkis. O Southwest Research Institute (San Antonio e Boulder) desenvolveu os instrumentos IES e Alice da Rosetta, e abriga seus pesquisadores principais, James Burch (IES) e Alan Stern (Alice).

rosetta_6km_06

Para mais informação sobre os instrumentos norte-americanos a bordo da Rosetta, visitem:

http://rosetta.jpl.nasa.gov

Mais informações sobre a missão da Rosetta estão disponíveis em:

http://www.esa.int/rosetta

Fonte:

http://www.jpl.nasa.gov/news/news.php?feature=4415

alma_modificado_rodape1051

O Que Os Astronautas Observam Durante A Reentrada na Atmosfera da Terra?

reentrada_01

observatory_1501051O cinema já tentou reproduzir essa cena centenas de vezes, mas nada como a vida real. Todo mundo sabe o quão emocionante é ver um lançamento para a ISS e também assistir quando a Soyuz retorna para a Terra trazendo os astronautas com segurança. Mas a experiência que os astronautas vivem na realidade poucas vezes foi vista. Aqui, nesse post, tanto no gif animado como no vídeo é possível ver como seria espiar pela janela da Soyuz no momento da reentrada da nave na atmosfera da Terra. Divirtam-se!!!

reentrada_02

 

Fonte:

http://www.iflscience.com/space/what-do-astronauts-see-upon-re-entry

alma_modificado_rodape1051

Galeria de Imagens “Brazucas” Do Cometa C/2014 Q2 (Lovejoy) – Parte 2

Meire Ruiz Cometa C/2014 Q2 Lovejoy 15/12/2014 Canon SX40 HS (CHDK); Montagem EQ1; Sem telescópio; 16 fotos empilhadas no DSS; 10 seg.exp.cada foto; ISO 3200 cada; f/5.8; Zoom 68x Imagem recortada; Edição no Picasa.

Meire Ruiz
Cometa C/2014 Q2 Lovejoy
15/12/2014
Canon SX40 HS (CHDK);
Montagem EQ1;
Sem telescópio;
16 fotos empilhadas no DSS;
10 seg.exp.cada foto;
ISO 3200 cada;
f/5.8;
Zoom 68x
Imagem recortada;
Edição no Picasa.

Meire Ruiz Cometa C/2014 Q2 Lovejoy 15/12/2014 Canon SX40 HS (CHDK); Montagem EQ1; Sem telescópio; 16 fotos empilhadas no DSS; 10 seg.exp.cada foto; ISO 3200 cada; f/5.8; Zoom 68x Imagem recortada; Edição no Picasa.

Meire Ruiz
Cometa C/2014 Q2 Lovejoy
15/12/2014
Canon SX40 HS (CHDK);
Montagem EQ1;
Sem telescópio;
16 fotos empilhadas no DSS;
10 seg.exp.cada foto;
ISO 3200 cada;
f/5.8;
Zoom 68x
Imagem recortada;
Edição no Picasa.

Minha primeira imagem do cometa C/2014 Q 2 Lovejoy . Devido a usar muita ampliação essa imagem não ficou como eu queria, foi um processamento rápido de 13 frames de 2 s feitos numa câmera planetária não adequada pra isso mas eu precisava registrar esse novo cometa que no telescópio proporciona imagens incríveis. Estou processando outra captura com menor ampliação que deve ficar melhor, em breve estarei postando. Registrei ele com Magnitude entre 6.2 e 6.3 usando os binóculos 10X50 e 16X70 .  Dados dessa captura : Meade SC 254 mm - ASI 120 MC - 13 frames empilhados no AS 2! - 16 12 2014 - 03 31 UT

Minha primeira imagem do cometa C/2014 Q 2 Lovejoy . Devido a usar muita ampliação essa imagem não ficou como eu queria, foi um processamento rápido de 13 frames de 2 s feitos numa câmera planetária não adequada pra isso mas eu precisava registrar esse novo cometa que no telescópio proporciona imagens incríveis. Estou processando outra captura com menor ampliação que deve ficar melhor, em breve estarei postando.
Registrei ele com Magnitude entre 6.2 e 6.3 usando os binóculos 10X50 e 16X70 .
Dados dessa captura : Meade SC 254 mm – ASI 120 MC – 13 frames empilhados no AS 2! – 16 12 2014 – 03 31 UT

Alan Frias‎ Em Eu Amo Astrofotografia Captura feita do cometa Lovejoy ontem, o tempo firmou aqui no rio e finalmente consegui uma captura de qualidade razoável. Com os frames de 120s deu pra evidenciar um pouco da calda. Acredito que da melhorar e muito na captura, mas fica o registro aqui pra galera. Telescópio Sky-Watcher 114mm f/4.3 Montagem Sky-Watcher Eq1 motorizada Câmera Sony ILCE-3000k ISO 800 Exposição 10x120s Balanço de branco Incandescente Empilhamento DSS e tratamento Photoshop e Photoscape,

Alan Frias‎ Em Eu Amo Astrofotografia
Captura feita do cometa Lovejoy ontem, o tempo firmou aqui no rio e finalmente consegui uma captura de qualidade razoável.
Com os frames de 120s deu pra evidenciar um pouco da calda.
Acredito que da melhorar e muito na captura, mas fica o registro aqui pra galera.
Telescópio Sky-Watcher 114mm f/4.3
Montagem Sky-Watcher Eq1 motorizada
Câmera Sony ILCE-3000k
ISO 800
Exposição 10x120s
Balanço de branco Incandescente
Empilhamento DSS e tratamento Photoshop e Photoscape,

Hildo Nascimento‎ em Astrofotografia Amadora acabei de tirar F6.5 exp 5seg 1so 3200 com canon sx 50

Hildo Nascimento‎ em Astrofotografia Amadora
acabei de tirar F6.5 exp 5seg 1so 3200 com canon sx 50

Deivis Ortiz‎ em Astrofotografia Amadora Deivis Ortiz 15/12/14 Cometa C/2014 Q2 Lovejoy Celestron C-8 XLT + Canon T4-i

Deivis Ortiz‎ em Astrofotografia Amadora
Deivis Ortiz 15/12/14
Cometa C/2014 Q2 Lovejoy
Celestron C-8 XLT + Canon T4-i

Isael Lima de Queiroz‎ em Astrofotografia Amadora Depois de dezenas de fotos para encontrar ele, com um céu com muita PL, vento gelado e sono, finalmente me senti recompensado!!! Cometa C 2014 Q2 Lovejoy, hoje 16.12.14 em Curitiba. Canon SX50HS

Isael Lima de Queiroz‎ em Astrofotografia Amadora
Depois de dezenas de fotos para encontrar ele, com um céu com muita PL, vento gelado e sono, finalmente me senti recompensado!!!
Cometa C 2014 Q2 Lovejoy, hoje 16.12.14 em Curitiba.
Canon SX50HS

Hildo Nascimento‎ em Eu Amo Astrofotografia

Hildo Nascimento‎ em Eu Amo Astrofotografia

Apolo11 Olá pessoal! Segue nosso registro do cometa C/2014 Q2 lovejoy feito agora pouco pelo Apolo11, através de telescópio robótico situado em Siding Spring, Austrália!

Apolo11
Olá pessoal!
Segue nosso registro do cometa C/2014 Q2 lovejoy feito agora pouco pelo Apolo11, através de telescópio robótico situado em Siding Spring, Austrália!

Arthur Inacio em ‎Astrofotografia Amadora Cometa C/2014 Q2 Lovejoy em negativo para evidenciar a cauda

Arthur Inacio em ‎Astrofotografia Amadora
Cometa C/2014 Q2 Lovejoy em negativo para evidenciar a cauda

Cristovao Jacques Cometa C/2014 Q2 (Lovejoy) já está visível a olho nu. Alguns reportes independentes de observadores australianos, dão conta que o C/2014 Q2 está no limite de visibilidade a olho nu, sendo visto em locais escuros com a visão avertida. Usando um binóculo, ele aparecerá bem brilhante . Abaixo uma imagem que fiz em 13/12 usando o telescópio T30 na Australia do itelescope.net .

Cristovao Jacques
Cometa C/2014 Q2 (Lovejoy) já está visível a olho nu.
Alguns reportes independentes de observadores australianos, dão conta que o C/2014 Q2 está no limite de visibilidade a olho nu, sendo visto em locais escuros com a visão avertida. Usando um binóculo, ele aparecerá bem brilhante . Abaixo uma imagem que fiz em 13/12 usando o telescópio T30 na Australia do itelescope.net .


Rover Curiosity da NASA Encontra Pela Primeira Vez Compostos Orgânicos na Superfície do Planeta Marte

compostos_organicos_marte_01

observatory_1501051O rover Curiosity da NASA em Marte mediu um aumento de dez vezes de metano, um composto químico orgânico, na atmosfera ao seu redor e detectou outras moléculas orgânicas em uma amostra pulverizada de rocha, coletada pela furadeira do laboratório robô.

“Esse aumento temporário no metano – aumento nítido e depois uma diminuição – nos diz que ele deve ser de alguma fonte relativamente localizada”, disse Sushil Atreya da Universidade de Michigan em Ann Arbor, um membro da equipe científica do Curiosity. “Existem muitas possíveis fontes, biológicas, ou não biológicas, como a interação da água com a rocha”.

Os pesquisadores usaram o instrumento, que na verdade mais parece um laboratório e se chama SAM, ou Sample Analysis at Mars, uma dúzia de vezes no período de 20 meses para “cheirar” o metano na atmosfera. Durante dois desses meses, no final de 2013 e no começo de 2014, quatro medidas marcaram o valor médio de sete partes por bilhão. Antes e depois disso, as leituras apresentavam medidas cerca de um décimo desse nível.

compostos_organicos_marte_02

O rover Curiosity também detectou diferentes compostos químicos orgânicos numa rocha pulverizada, perfurada num local chamado de Cumberland, essa marca a primeira detecção definitiva de compostos orgânicos nos materiais da superfície de Marte. Esses compostos orgânicos marcianos, poderiam ter se formado no próprio planeta, ou levados para lá, por meteoritos.

Moléculas orgânicas, que contêm carbono e normalmente hidrogênio, são os blocos fundamentais para a geração da vida, embora elas possam existir na ausência de vida. As descobertas do Curiosity feitas a partir das análises de amostras da atmosfera e de rocha pulverizada não revelam se Marte algum dia abrigou a vida microbiana, mas descobriu algo que pode trazer uma luz em um Marte moderno, quimicamente ativo e nas condições favoráveis para a vida, no antigo Marte.

compostos_organicos_marte_03

“Nós continuaremos trabalhando nos quebra-cabeças apresentados por essas descobertas”, disse John Grotzinger, um cientista de projeto do Curiosity no Instituto de Tecnologia da Califórnia, em Pasadena. “Nós podemos aprender mais sobre a química ativa que causou essas flutuações na quantidade de metano na atmosfera? Nós podemos escolher rochas alvos onde compostos orgânicos identificáveis estejam preservados?”

Os pesquisadores trabalharam muitos meses para determinar se o material orgânico encontrado em Cumberland era realmente marciano. O laboratório SAM do Curiosity detectou algumas amostras com alguns compostos orgânicos de carbono que foram, de fato, transportados da Terra, dentro do rover. Contudo, extensos testes e análises confirmaram a detecção de compostos orgânicos marcianos.

compostos_organicos_marte_04

Identificar quais compostos orgânicos marcianos específicos estão presentes na rocha é complicado, graças a presença de minerais que a percolam. Quando aquecida dentro do SAM, os percloratos alteram a estrutura dos compostos orgânicos, assim a identificação dos compostos orgânicos marcianos na rocha permanece incerta.

“Essa primeira confirmação de carbono orgânico numa rocha de Marte traz muitas promessas”, disse Roger Summons, cientista participante do Curiosity do MIT em Cambridge. “Compostos orgânicos são importantes pois eles podem nos dizer muito sobre os caminhos químicos pelos quais eles se formaram e se preservaram. Por sua vez, essa é uma informação sobre as diferenças entre Marte e a Terra e se algum ambiente particular representado pelas rochas sedimentares da Cratera Gale foi mais ou menos favorável para a acumulação de material orgânico. O desafio agora é encontrar outras rochas no Monte Sharp que podem ter diferentes e mais extensos inventários de compostos orgânicos”.

Os pesquisadores também reportaram que o gosto da água marciana do Curiosity, presa nos minerais do leito de um lago na rocha de Cumberland a mais de 3 bilhões de anos atrás, indica que o planeta perdeu boa parte da sua água antes que o leito de lago se formasse, e continuou perdendo grandes quantidades depois.

compostos_organicos_marte_05

O SAM analisou isótopos de hidrogênio de moléculas de água que estavam presas dentro de uma amostra de rocha por bilhões de anos e liberadas quando o SAM aqueceu a rocha, permitindo então que se investigasse sobre a história da água de Marte. A razão de isótopo de hidrogênio mais pesado, o deutério, com relação ao isótopo do hidrogênio mais comum, pode fornecer uma assinatura para a comparação através de diferentes estágios da história do planeta.

“É realmente interessante que nossas medidas dos gases do Curiosity extraídas das antigas rochas podem nos dizer sobre a perda de água de Marte”, disse Paul Mahaffy, principal pesquisador do SAM do Goddard Space Flight Center da NASA em Greenbelt, Maryland e principal autor do relatório publicado em forma de artigo na revista Science dessa semana.

A razão de deutério para hidrogênio tem mudado devido ao fato do hidrogênio mais leve escapar da alta atmosfera de Marte, muito mais prontamente do que o deutério. Para poder voltar no tempo e ver como a razão deutério/hidrogênio na água marciana mudou com o passar dos tempos, os pesquisadores podem olhar na razão na água na atual atmosfera e na água aprisionada nas rochas em diferentes tempos da história do planeta.

compostos_organicos_marte_06

Os meteoritos marcianos encontrados na Terra também fornecem alguma informação, mas esse registro possui vazios. Nenhum meteorito marciano conhecido tem nem de perto a mesma idade das rochas estudadas em Marte, que se formaram cerca de 3.9 a 4.6 bilhões de anos atrás, de acordo com as medidas feitas pelo Curiosity.

A razão que o Curiosity encontrou na amostra de Cumberland tem cerca de metade da razão com relação ao vapor d’água na atmosfera atual de Marte, sugerindo que boa parte da água do planeta foi perdida desde que a rocha se formou. Contudo, a razão medida é cerca de três vezes maior do que a razão no suprimento original de água de Marte, com base nas premissas que suportam que a razão seja similar àquela medida nos oceanos da Terra. Isso sugere que boa parte da água de Marte se perdeu antes da rocha ter se formado.

compostos_organicos_marte_07

O rover Curiosity, é um dos elementos da pesquisa e da preparação que está acontecendo em Marte atualmente e realizada pela NASA para a missão do ser humano ao planeta que deve ocorrer na década de 2030. O Caltech gerencia o Laboratório de Propulsão a Jato em Pasadena, na Califórnia, e o JPL gerencia as investigações científicas feitas pelo rover Curiosity, para o Science Mission Directorate da NASA em Washington. As investigações feitas pelo SAM são lideradas por Paul Mahaffy do Goddard. Dois instrumentos do SAM foram cruciais nessas descobertas, o Quadrupole Mass Spectrometer, desenvolvido pelo Goddard eo Tunable Laser Spectrometer, desenvolvido pelo JPL.

Os resultados da investigação do rover Curiosity sobre a detecção de metano e de compostos orgânicos em antigas rochas de Marte foram discutidas nessa terça-feira, dia 16 de Dezembro de 2014 na convenção da American Geophysical Union que acontece em San Francisco. Os resultados do metano são descritos num artigo publicado online nessa semana na revista Science pelo cientista da NASA Chris Webster do JPL e co-autores.

Um artigo sobre a detecção de compostos orgânicos na rocha Cumberland pela cientista da NASA Caroline Freissenet, do Goddard e co-autores está aguardando aprovação para publicação.

Para mais informação sobre a missão do Curiosity, visitem:

http://www.nasa.gov/msl

e

http://mars.jpl.nasa.gov/msl/

Saiba mais sobre a Jornada da NASA para Marte, em:

http://www.nasa.gov/content/nasas-journey-to-mars/



Broadcast live streaming video on Ustream

Fonte:

http://www.jpl.nasa.gov/news/news.php?feature=4413

alma_modificado_rodape1051