Rover Curiosity Escova Rocha em Bonanza King Se Preparando Para Realizar Sua Quarta Perfuração em Marte


PIA18602


observatory_1501051O rover Curiosity da NASA usou sua ferramenta chamada de Dust Removal Tool, localizada no seu braço robótico para escovar, a poeira mais oxidada, revelando um pedaço cinza de material rochoso menos oxidado no alvo chamado de Bonanza King, visível nessa imagem feita com a Mast Camera do rover, ou Mastcam.

O olho direito da Mastcam, que tem uma lente teleobjetiva, fez essa imagem no dia 17 de Agosto de 2014, durante o dia de trabalho em solo marciano, número 722, ou Sol 722. A atividade de escovar a rocha ocorreu mais cedo nesse mesmo dia. A equipe do rover está avaliando Bonanza King, como sendo um possível alvo a ser perfurado. A missão anteriormente perfurou três alvos para coletar amostras de rochas pulverizadas para serem analisadas pelos instrumentos de laboratório no interior do rover.

A área escovada tem cerca de 6 centímetros de diâmetro. Ela revela veios finos, brancos e cruzados. Eles podem ser formados por sais sulfatos ou outro tipo de mineral que precipitou da solução e preencheu as fraturas na rocha. Esses finos veios podem estar relacionados com veios de tonalidade clara mais largos e feições nos arredores da rocha.


Curiosity-Sol-711_5_1a_Ken-Kremer


À esquerda do pedaço escovado está uma linha de cinco pontos menores e menos importantes onde a poeira foi parcialmente removida. Esses são os pontos em Bonanza King que foram analisados com o laser da Chemistry and Camera, ou ChemCam do Curiosity, no Sol 719 (14 de Agosto de 2014). Um balanceamento de cor e contraste tem sido usado para preparar as imagens a partir das imagens brutas da Mastcam usadas nessa exposição.

Perfurar um buraco raso de teste é o próximo passo na avaliação desse local para que depois seja realizado um furo completo para que se possa coletar a amostra. O mini buraco raso de teste permiti acessar se a rocha pulverizada da perfuração tende a se amontoar.

Bonanza King é uma rampa que nasce a partir da parte terminal nordeste do Hidden Valley, entre o local de pouso do Curiosity em Agosto de 2012 na Cratera Gale, e o destino final do rover, o Monte Sharp dentro da cratera.

O Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, uma divisão do Instituto de Tecnologia da Califórnia, em Pasadena, gerencia o Mars Science Laboratory Project para o Science Mission Directorate da NASA em Washington. O JPL desenhou e construiu o rover Curiosity do projeto. A empresa Malin Space Sciences Systems de San Diego, construiu e opera a MastCam do rover.

Para mais informações sobre o Curiosity visitem, http://www.nasa.gov/msl e http://mars.jpl.nasa.gov/msl/.


Curiosity-Sol-669_1_Ken-Kremer-


Fonte:

http://www.jpl.nasa.gov/spaceimages/details.php?id=pia18602

alma_modificado_rodape1051

NASA Testa Propulsão Elétrica No Dia Nacional da Aviação


gl10_test013_8-19-14


observatory_1501051No dia 19 de Agosto, o Dia Nacional da Aviação, muitas pessoas estão refletindo sobre o quão distante a aviação avançou no último século. Será que essa imagem acima poderia apontar para o futuro, um avião com muitos motores elétricos que pode pairar como um helicóptero e voar como um avião, e que poderia revolucionar a viagem de avião?

Os engenheiros do Langley Research Center da NASA em Hampton, Va., estão estudando o conceito com modelos como esse o sistema aéreo, ainda sem nome, GL-10 Greased Lightning. O GL-10, que tem uma envergadura de 10 pés. Recentemente ele voou com sucesso enquanto era puxado por um cabo. Testes de voos livres estão sendo planejados para o outono de 2014 nos EUA.

Essa pesquisa tem ajudado a levar para o NASA Aeronautics Research Mission Directorate esforços para entender melhor o potencial da propulsão elétrica por todos os tipos, tamanhos e missões para a aviação.

Fonte:

http://www.nasa.gov/aero/testing-electric-propulsion.html#.U_QAc_ldV8E


alma_modificado_rodape1051

 

O Cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko Em 17 de Agosto de 2014


Comet_on_17_August_2014_-_NavCam


observatory_1501051A imagem acima foi feita pela câmera de navegação da sonda Rosetta, no dia 17 de Agosto de 2014 a uma distância de cerca de 102 km do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko. Na imagem acima pode-se ver na porção direita o lobo menor, e na porção esquerda o lobo maior. A região do pescoço não é visível nessa imagem pois se encontra totalmente mergulhada na sombra gerada pelo lobo maior.

Na parte terminal do lobo menor é possível ver a grande cratera que domina a região, com pedaços de rocha e gelo no seu interior, além de uma grande falha que parece cortar a parte central da grande cratera. O restante do lobo menor é dominado por diversas crateras de diferentes tamanhos e formas, além de uma grande cadeia de montanha na região próxima ao pescoço.

O lobo maior apresenta na parte inferior uma grande cratera, elevada, com paredes suaves. A maior parte do terreno do lobo maior imageado por esse ângulo, apresenta uma superfície suave com uma cadeia de montanha na parte superior esquerda, precendendo a parede da grande depressão do lobo maior que já foi imageada outras vezes com maior detalhe a partir de outros ângulos. Por esse ângulo de imagemento, só é possível ver pedaços de rocha e gelo pontuando o lobo menor do núcleo do cometa.

As respostas para as principais questões relacionadas com o cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko, começarão a ser respondidas a partir do dia 11 de Novembro de 2014 quando a sonda Rosetta lançará o módulo Philae, que pousará na superfície do cometa.


cometa_churyumov_gerasimenko_17_agosto_comentada


Fonte:

http://blogs.esa.int/rosetta/2014/08/18/cometwatch-17-august/

alma_modificado_rodape1051

O Planeta Mercúrio Pintado de Azul e Amarelo Em Imagens da Sonda MESSENGER


EW1046686748G.3band.mapped


observatory_1501051Essa imagem, mostra a porção norte da Rachmaninoff, apresentando uma possível abertura vulcânica para o leste e uma expansão do terreno que aparece azul nessa imagem colorida para oeste. A coloração laranja amarelada da depressão e a forma irregular são similares a outras possíveis aberturas vulcânicas em Mercúrio. Para o oeste da grande abertura está uma cratera com uma depressão irregular laranja em seu assoalho que pode também ser uma abertura. Aberturas vulcânicas em Mercúrio são evidências que indicam vulcanismo explosivo que prevaleceu no passado do planeta.

A imagem acima foi adquirida como uma observação colorida planejada de alta resolução. Observações planejadas coloridas são imagens feitas de pequenas áreas da superfície de Mercúrio com resoluções maiores que 1 quilômetro por pixel, que são usadas no mapa base de 8 cores. Durante a missão primária de um ano da sonda MESSENGER, centenas de observações coloridas planejadas foram obtidas. Durante a missão estendida da sonda MESSENGER, observações coloridas planejadas de altas resoluções são mais raras, já que o mapa base de 3 cores cobriu o hemisfério norte de Mercúrio com a mais alta resolução possível para as imagens coloridas.

Fonte:

http://messenger.jhuapl.edu/gallery/sciencePhotos/image.php?page=1&gallery_id=2&image_id=1417


alma_modificado_rodape1051

Esculpindo Os Céus de La Silla


Sculpting La Silla’s Skies


observatory_1501051Raras nuvens brancas raiam o céu por cima do Observatório de La Silla do ESO nesta fotografia tirada no dia 11 de junho de 2012 pelo astrónomo Alan Fitzsimmons.

Este ambiente seco e inóspito com vento forte a soprar ocasionalmente pode não ser o melhor local para se construir uma casa, mas é certamente o lugar ideal para os telescópios. Condições secas e áridas ajudam os astrónomos a evitar os problemas comuns das observação como a turbulência atmosférica, a poluição luminosa, a humidade e (na maioria das vezes) as nuvens, permitindo-lhe ter uma vista clara do cosmos. Mesmo neste dia raro com nuvens que a imagem mostra, o céu ficou limpo ao anoitecer e as observações tiveram lugar como de costume.

Os telescópios que estão instalados em La Silla – incluindo dois principais operados pelo ESO: o telescópio de 3,6 metros do ESO e o New Technology Telescope (NTT) – encontram-se equipados com instrumentos de vanguarda, o que lhes permite explorar ao máximo as condições de observação únicas que existem no norte do Chile.

É no telescópio de 3,6 metros do ESO que se encontra atualmente montado o High Accuracy Radial velocity Planet Searcher (HARPS), um  instrumento dedicado à descoberta de planetas extrasolares. O NTT foi pioneiro em óptica ativa, tendo sido o primeiro telescópio do mundo a ter um espelho primário controlado por computador.

La Silla foi o primeiro observatório do ESO no Chile inaugurado nos anos 1960 e tem, desde essa altura, desempenhado um papel fundamental.

Fonte:

http://www.eso.org/public/brazil/images/potw1433a/


alma_modificado_rodape1051