Rover Opportunity da NASA Observa Cometa Siding Spring Perto de Marte


PIA18591_ip


observatory_150105O rover Opportunity da NASA capturou imagens de um cometa passando mais perto de Marte do que qualquer outro cometa conhecido passou pela Terra ou Marte. As imagens do cometa Siding Spring foram feitas contra o céu da madrugada marciana no último domingo, dia 19 de Outubro de 2014.

Os pesquisadores usaram a Pancam do rover Opportunity para imagear o cometa em uma variedade de tempos de exposição cerca de duas horas e meia antes da maior aproximação do cometa Siding Spring com Marte. No momento da maior aproximação que ocorreu com o cometa a cerca de 139500 quilômetros de distância de Marte, o céu acima do Opportunity já brilhava com a luz da manhã.

“É muito animador que esse cometa tenha chegado tão perto de Marte, nos dando a chance de estudá-lo com os instrumentos que hoje são usados para estudar o planeta Marte”, disse um membro da equipe científica do Opportunity, Mark Lemmon da Universidade Texas A&M, que coordenou o apontamento da câmera para registrar o cometa. “As visões dos rover em Marte, em particular, nos dão uma perspectiva humana, pois eles são tão sensíveis à luz como os nossos olhos também são”.


PIA18592_ip


Três sondas orbitais da NASA em Marte, doi rovers e outros instrumentos na Terra e no espaço estão estudando o cometa Siding Spring. Esse cometa está fazendo sua primeira visita perto do Sol desde a Nuvem de Oort na parte mais externa do Sistema Solar, assim, as campanhas de observação podem trazer pistas frescas sobre os primeiros dias do Sistema Solar a mais de 4 bilhões de anos atrás.

O Opportunity está trabalhando em Marte desde Janeiro de 2004 e tem fornecido evidências sobre os antigos ambientes úmidos do Planeta Vermelho.

Para mais informações sobre a missão do rover Opportunity, visitem:

http://www.nasa.gov/rovers

http://marsrovers.jpl.nasa.gov

Para mais informações sobre o cometa Siding Spring, visitem:

http://mars.jpl.nasa.gov/comets/sidingspring/


PIA18617


Fonte:

http://www.jpl.nasa.gov/news/news.php?feature=4348

alma_modificado_rodape105

Sonda MESSENGER Registra Gelo Enterrado na Cratera Berlioz em Mercúrio


Berlioz_Geology2


observatory_150105A Cratera Berlioz, em contraste com a Kandinsky ou Prokofiev, localizadas em latitudes mais altas, é muito quente mesmo com seu assoalho na sombra permanente para ter gelo de água na superfície. Contudo, as temperaturas logo abaixo da superfície são suficientemente frias para que o gelo de água seja estável. A imagem aqui fornece uma visão na cratera que suspeita-se abriga gelo de água soterrado.

A imagem superior mostra uma visão da Cratera Berlioz, com a região que abriga o material brilhante de radar (amarelo) e com as regiões em sombra permanente (vermelho) identificadas. A imagem intermediária foi adquirida  poucos horas depois da imagem superior, usando uma exposição mais longa do filtro de banda larga da câmera WAC, e estirada para revelar os detalhes dentro da cratera sombreada. Uma região mais escura distinta é vista no assoalho da cratera, que corresponde bem com o material brilhante de radar e com as regiões sombreadas (imagem inferior). O material mais escuro de baixa refletância é postulado como sendo composto de material congelado, rico em matéria orgânica e volátil que se forma através de um processo de deposição.

Essa imagem foi adquirida como parte da campanha de imageamento do instrumento MDIS dentro de regiões que estão em sombra permanente em cratera polares que abrigam gelo. Imageando essas regiões com o filtro limpo de banda larga da câmera WAC, que tem uma largura de banda de 600 nanômetros e é usada para calibração de imagens das estrelas, tem o potencial para revelar detalhes das superfície escondidas nas sombras que são fracamente iluminadas pela luz do Sol dispersada. Uma grande variedade de tempos de exposição e de condições de visualização são empregados para maximizar a oportunidade para resolver as feições superficiais de áreas que estão permanentemente nas sombras.

Fonte:

http://messenger.jhuapl.edu/gallery/sciencePhotos/image.php?page=1&gallery_id=2&image_id=1485


alma_modificado_rodape105

Imagem Feita Com a Câmera HiRISE da Sonda MRO Mostra Que o Núcleo Do Cometa Siding Spring É Menor do Que Se Pensava


PIA18618_ip


observatory_150105A câmera High Resolution Imaging Science Experiment, ou HiRISE, que viaja a bordo da sonda Mars Reconnaissance Orbiter, ou MRO, capturou imagens do cometa C/2013 A1 Siding Spring enquanto esse visitante passava pelo planeta Marte, no último domingo, dia 19 de Outubro de 2014, registrando assim informações sobre o seu núcleo.

As imagens são as visões de mais alta resolução já adquiridas de um cometa proveniente da Nuvem de Oort, região localizada nos confins do Sistema Solar. Outras sondas já se aproximaram e estudaram cometas, mas cometas de órbitas bem mais curtas. Esse sobrevoo do cometa por Marte forneceu a oportunidade de investigar esse tipo de objeto de perto.

As imagens de mais alta resolução do núcleo do cometa foram feitas a uma distância de cerca de 138000 quilômetros, com uma escala de 138 metros por pixel. Observadores usando telescópios tinham modelado o tamanho do núcleo do cometa em cerca de meia milha, ou perto de um quilômetro de diâmetro. Contudo, as melhores imagens obtidas pela câmera HiRISE mostram que somente dois dos três pixels presentes na feição mais brilhante, provavelmente pertence ao núcleo, sugerindo assim um tamanho menor do que a metade que se havia estimado.

Para mais informações sobre a câmera HiRISE, visitem:

http://hirise.lpl.arizona.edu

Para mais informações sobre a missão da Mars Reconnaissance Orbiter, visitem:

http://mars.nasa.gov/mro/

Para mais informações sobre o cometa Siding Spring incluindo outras imagens do cometa, visitem:

http://mars.jpl.nasa.gov/comets/sidingspring/

Fonte:

http://www.jpl.nasa.gov/news/news.php?feature=4349


alma_modificado_rodape105

Imagem Espetacular Mostra o Cometa Siding Spring Passando Pelo Planeta Marte

image

observatory_150105Ontem, dia 19 de Outubro de 2014, um cometa passou muito perto do planeta Marte. De fato, o cometa C/2013 A1 (Siding Spring) passou mais perto do Planeta Vermelho do que qualquer cometa já passou pela Terra em toda a história. Para aproveitar essa oportunidade única de estudar a interação próxima de um cometa com um planeta , a humanidade atualmente tem cinco sondas ativas orbitando o planeta Marte: MAVEN, MRO e Mars Odyssey da NASA, Mars Express da ESA, e a Mars Orbiter da Índia. A maior parte das sondas já mandou informações de volta para a Terra dizendo que elas não foram danificadas pelos pedaços e pelos gases do cometa. Essas sondas, bem como os dois rovers ativos da NASA, em solo marciano, o Opportunity e o Curiosity, obtiveram dados e imagens que serão enviadas para Terra nas próximas semanas e com certeza serão estudados por anos. A imagem acima, foi feita ontem, dia 19 de Outubro de 2014, porém não foi feita de Marte e sim da Terra, e mostra o cometa Siding Spring, na parte inferior esquerda, enquanto passava por Marte, na parte superior direita da imagem.

Fonte:

http://apod.nasa.gov/apod/ap141020.html

alma_modificado_rodape105

Uma Espetacular Visão 3D da Cratera Waters em Mercúrio


waters_stereo_pair


observatory_150105A imagem acima mostra uma visão espetacular da Cratera Waters em Mercúrio. A Cratera Waters é uma cratera recentes, raiada que é melhor conhecida pelo material negro derretido pelo impacto que flui para fora da cratera.

A imagem acima é na verdade um par de imagens que forma uma visão 3D da Cratera Waters que foi adquirido como um conjunto de imagens estereográficas planejadas. Observações estereográficas planejadas são adquiridas em resoluções muito maiores que os tradicionais 200 metros por pixel do mapa base estereográfico. Esses alvos adquiridos com a câmera NAC permite a topografia detalhada da superfície de Mercúrio seja determinada para uma determinada área de interesse.

Fonte:

http://messenger.jhuapl.edu/gallery/sciencePhotos/image.php?page=1&gallery_id=2&image_id=1482


alma_modificado_rodape105